PC identifica casal que achou bebê em lixão no Vergel; ambos devem prestar depoimento nesta quarta
26/01/2022 07:30 em POLICIA

 Uma das peças-chaves para elucidar quem abandonou um recém-nascido no meio do lixo no Vergel do Lago, em Maceió, o casal que encontrou a criança foi identificado pela Polícia Civil e deverá prestar depoimento nesta quarta-feira (26). O bebê foi achado na madrugada desta terça-feira (25).Segundo o delegado, Nivaldo Aleixo, em entrevista à TV Pajuçara, a polícia conseguiu identificar o endereço dos dois, mas eles não estavam em casa no momento em que foi entregue à intimação. No entanto, o casal deve comparecer à delegacia nesta quarta-feira, quando irá prestar depoimento.

Ainda segundo a autoridade policial, uma equipe irá acompanhar os dois para que eles indiquem o local exato onde o bebê foi encontrado. Ciente disso, a polícia irá verificar se o local tem câmeras de videomonitoramento. Em caso de afirmativo, elas deverão ser solicitadas e analisadas.

Aleixo informou ainda que, além de indicar o local, o casal deverá também prestar depoimento nesta quarta. Para ele, há uma série de indagações a serem feitas aos dois, em especial, o que eles faziam, em local ermo, de madrugada e como o bebê foi encontrado pelos dois.

“[queremos] saber por que eles estavam naquele local, como encontraram a criança, como levaram a criança ao hospital, por que não procuraram a delegacia”, questiona o delegado.

Segundo o que já foi apurado na investigação, o casal teria encontrado o bebê na madrugada em um local de lixo, no Vergel do Lago. Em seguida, eles levaram a criança para o Hospital Geral Santo Antônio, que fica no Centro de Maceió.Conforme informações do Conselho Tutelar repassadas à TV Pajuçara, foi o próprio hospital que informou a situação ao Conselho Tutelar. Nas informações, teriam dito que a criança ainda estava viva, com o cordão umbilical e que iriam realizar procedimentos médicos para tentar salvar a vida dela. Entretanto, o bebê veio a óbito.

 

De acordo com o delegado Nivaldo Aleixo, até às 20h desta terça-feira, o corpo da criança ainda estava no hospital. “Tentamos localizar a mãe, para que a criança não seja enterrada como indigente e ainda estamos aguardando a autópsia para saber o que causou a morte”, informa o delegado.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE