Políticos saíram de partidos e ainda não definiram nova legenda
22/03/2016 10:57 em POLÍTICA

Foto: Waldemir Barreto / Agência Senado

Por ser senador da república, Fernando Collor de Mello não tem prazo para definir novo partido

Por ser senador da república, Fernando Collor de Mello não tem prazo para definir novo partido

O prazo para que os políticos mudem de partido sem sofrer penalidades já expirou, contudo, o senador Fernando Collor, que formalizou a sua saída do PTB, ainda não decidiu para qual legenda deve migrar.

“Diante de rumo partidário diverso, adotado nacionalmente pelo PTB, o senador Fernando Collor tomou a iniciativa de formalizar sua desfiliação do partido, fato inclusive já registrado no site oficial da agremiação. Sem urgência dos prazos para nova filiação, pelo fato de ser senador da República, Collor examina com tranquilidade os convites já recebidos”, diz uma publicação na página oficial do político no Facebook.

A assessoria de imprensa do senador em Alagoas, explicou que senador não sofre penalidades por prazos para mudar de partido. A publicação da página de Collor diz ainda que “o objetivo é optar programaticamente por um novo partido que esteja identificado com o seu pensamento de Estado e com sua visão social”, conclui.

A assessoria não informou quais legendas estariam interessadas.

Outro que deixou o partido para o qual foi eleito e ainda está sem legenda é o deputado estadual Marcelo Victor, ex-Pros.

O parlamentar disse que se desfiliou do Pros porque o então presidente, deputado Givaldo Carimbão, também havia deixado a legenda e ingressado no PHS.

“Resolvi deixar o partido porque meu presidente saiu, todo mundo saiu, e eu saí também. Ainda não tenho nenhum convite oficial de outro partido e não tomei nenhuma decisão”, declarou Marcelo Victor.

Mesmo sem confirmar sua filiação em algum partido, notícias de bastidores dizem que Marcelo Victor foi para p PSD, juntamente com João Beltrão que deixou o PRTB.

Deputado pode ter seu mandato reclamado

De acordo com o advogado eleitoral Marcelo Brabo, os deputados estaduais e federais que se desfiliaram do antigo partido e não se filiaram a uma nova legenda até o dia 19 desse mês, podem ter seus mandatos questionados pelo Ministério Público, pelo suplente ou pelo partido que perdeu o parlamentar.

“O prazo era para se desfiliar e se filiar ao novo partido”, ressaltou o advogado.

Mas muitos deputados estaduais e federais além de vereadores da capital e do interior preferiram não correr o risco e trataram de se filiar em outro partido, aproveitando a janela partidária.

Na Assembleia Legislativa Estadual (ALE), por exemplo, oito deputados decidiram deixar seus partidos e se filiarem ao PMDB, o qual, se tornou a maior bancada na casa de Tavares bastos com 11 parlamentares.

BOAS-VINDAS

Numa iniciativa das presidentes do PMDB Mulher, Juliana Almeida e do PMDB Juventude, Mellina Freitas, a deputada estadual Thaíse Guedes, foi recebida na sede do partido em Maceió, para um evento de boas-vindas. O encontro que também contou com a presença da deputada Jó Pereira, reuniu diversas integrantes do núcleo feminino, além do Senador Renan Calheiros.

Recém-filiada ao partido, após 08 anos no PSC, Thaíse atendeu ao convite do senador Renan e do governador Renan Filho, para compor o PMDB.

Para Renan Calheiros, a trajetória política da deputada contribuirá positivamente para a sigla. “Thaíse é, sem dúvida, um dos destaques no cenário político alagoano. Uma representante jovem, que com valores morais, caráter, competência e empenho, irá contribuir com nossa sigla”.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE