Alagoanos são citados em lista de doações da Odebrecht
24/03/2016 11:07 em POLÍTICA

Foto: Adailson Calheiros / Arquivo

Téo Vilela também aparece na lista como suposto beneficiário

Téo Vilela também aparece na lista como suposto beneficiário

Somente agora, a Polícia Federal divulgou uma lista com possíveis repasses da Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 legendas. O material foi apreendido durante a 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”, em fevereiro de 2016.

Na planilha, que traz em detalhe os valores dos repasses, aparecem alguns políticos de Alagoas, como o senador Renan Calheiros (PMDB), o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB) e o ex-governador de Alagoas Teotonio Vilela Filho (PSDB), do prefeito de Marechal Cristiano Matheus e do ex-deputado Jefferson Morais.

Os valores repassados variam entre R$50,00 e R$500,00. De acordo com a planilha em maio de 2012, Rui Palmeira teria recebido R$ 150,00 e em 2014 R$ 350,00,  totalizando R$ 500,00. Já o ex-governador Teotonio Vilela Filho e o senador Renan Calheiros (PMDB) receberam apenas R$50,00.

Ao que tudo indica estas seriam doações de campanha referente ao ano de 2012. Os documentos mostram ainda que a construtora teria doado R$ 25.490.000 para partidos e comitês de campanha. No ano de 2014, a soma de doações da construtora ficou em um pouco mais de R$ 48 milhões, divididos entre candidaturas individuais e comitês dos partidos. Em 2010, o total doado foi de R$ 5,9 milhões.

O prefeito de Maceió, Rui Palmeira explicou que todas as doações financeiras realizadas nas eleições de 2012 em prol de sua campanha são legais e foram declaradas aos tribunais eleitorais e aprovadas sem ressalvas por estas Cortes. Rui afirma que está inteiramente à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos.

Depois que o material foi divulgado pela imprensa nacional, o juiz federal Sérgio Moro emitiu despacho determinando o sigilo nos documentos. Segundo ele, não há  nenhum julgamento conclusivo sobre a natureza das informações contidas nas planilhas, que ainda serão objeto de investigação nos foros competentes.

Téo Vilela afirma que doações foram legais

O ex-governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB) também se pronunciou sobre as investigações da Lava Jato em que cita seu nome como um dos beneficiados da construtora Odebrecht em doação de campanha.

Por meio de sua assessoria de imprensa, ele informou que todas as doações recebidas em suas campanhas eleitorais foram legais, devidamente registradas na Justiça Eleitoral, publicadas como determina a lei no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, portanto, às vistas do interesse público. Assim como Rui Palmeira, ele também se colocou à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos.

O senador Renan Calheiros (PMDB), que na lista aparece com o apelido de “atleta”’, não se pronunciou sobre a questão. A única declaração dada por ele sobre a Operação Lava Jato foi com relação ao possível excesso cometido pela Justiça, que segundo ele, não cabe ao Senado constatá-lo. Para o senador, essa decisão está com o Conselho Nacional de Justiça. A reportagem da Tribuna Independente tentou contato com o prefeito de Marechal Deodoro Cristiano Matheus e com o ex-deputado estadual Jeferson Moraes para falarem sobre o assunto, mas eles não atenderam as ligações.

PLANILHAS

Além dos políticos de Alagoas, outros nomes também aparecem na planilha de beneficiados, como Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Campos (PSB), morto em 2014, entre vários outros. Ao todo, 200 políticos teriam recebido doações da Odebrecht.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE