SMS faz capacitação no HU para teste rápido de HIV em gestantes
05/05/2016 22:18 em Ciência e Saúde

Foto: Ascom / SMS

Capacitação para profissionais do HU

Capacitação para profissionais do HU

A equipe do Programa de Combate as DST/Aids, ligado à Diretoria de Atenção à Saúde (DAS) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realizou uma capacitação profissional no Hospital Universitário (HU) para realização de teste rápido em gestantes. O treinamento aconteceu para 30 pessoas, incluindo os participantes do Programa Residência Multiprofissional.

O Hospital Universitário e o Bloco I do PAM Salgadinho são as duas unidades de referência para portadores de DST e Aids realizarem tratamento em Alagoas. Segundo a enfermeira obstetra da equipe, Sueli Rodrigues, centenas de profissionais já foram capacitados para fazer o teste rápido, inclusive os que trabalham nas unidades básicas de saúde distribuídas nos oito distritos sanitários da capital.

O teste rápido é muito importante para detectar doenças como sífilis, hepatite C e Aids, especialmente para mulheres gestantes que estão fazendo o pré-natal.  Quem participa da capacitação recebe informações teóricas para saber como acolher e aconselhar grávidas que sejam diagnosticadas com doença sexualmente transmissível.

Essas profissionais aprenderam o passo a passo para o diagnóstico das DST/Aids e precisam estar trajadas da mesma forma como trabalham nas unidades – todas de jaleco, máscaras, luvas e touca. “A mulher que é diagnosticada com alguma DST ou Aids já é logo encaminhada para uma das unidades de referência para iniciar o tratamento evitando assim a transmissão vertical (que o bebê venha a ter a doença)”, destacou Sueli.

Transmissão vertical

O primeiro encontro para a criação do Comitê de Investigação de Transmissão Vertical do HIV, Sífilis e Hepatites B e C foi realizado em outubro do ano passado. O colegiado tem como objetivo investigar os casos de transmissão vertical desses vírus para subsidiar as intervenções com o foco na eliminação desses agravos como problema de saúde pública. A medida é uma exigência do Ministério da Saúde em nível nacional para estados e municípios. Em Maceió, o trabalho é comandado por profissionais do Programa de DST/Aids, Hepatites Virais e Sífilis.

Transmissão Vertical é a transmissão de infecção ou doença a partir da mãe para seu feto no útero ou recém-nascido durante o parto. O Brasil é signatário junto à Organização Pan-Americana de Saúde (OPA) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) para a eliminação da sífilis congênita nas Américas, cuja meta é de atingir 0,5 casos a cada mil nascidos vivos até 2015. Em 2011, o país incorporou o “Plano Global para Eliminar Novas Infecções por HIV em Crianças até 2015 e Manter suas Mães Vivas”.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE