Após pedido da Fecomércio, Estado deve anunciar antecipação do 13º salário
14/11/2018 21:40 em Economia e Negócios

Os servidores públicos estaduais podem receber uma boa notícia na próxima  segunda-feira (19), com a confirmação do anúncio da liberação do 13° salário de forma antecipada. O pedido, realizado pela Federação do Comércio de Alagoas (Fecomércio), na semana passada, foi discutido internamente na Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz). 

Segundos fontes da Sefaz, tudo indica que o governo vai liberar a antecipação do pagamento para os servidores públicos. 

 

Diante disso, a liberação deve ocorrer, mas ainda sem data definida, para beneficiar o setor do comércio, mas principalmente aos servidores e suas famílias. Procurado, o titular da pasta, secretário George Santoro, informou, por meio de sua assessoria, que sobre o tema apenas o governo deve se manifestar. 

Sendo assim, a confirmação só será feita pelo próprio governador Renan Filho (MDB) que está em viagem. A reportagem também buscou informações junto a assessoria do governador em exercício, Luciano Barbosa (MDB), mas não obteve sucesso. 

Na Fecomércio, o clima é de expectativa. O presidente da entidade, Wilton Malta, torce para que o anunciou seja feito porque o setor ainda sente os efeitos da crise que se abateu no país nos últimos três anos. 

Assim como no ano passado, a entidade espera que o governo não só antecipe o 13° como também possa garantir o repasse do ICMS até março, afim de garantir a compra de estoque no início do ano. 

A injeção na economia alagoana, em dezembro, considerado melhor período de vendas, também coincide com o pagamento do 13° aos servidores do comércio e aos contratados de forma temporária. Com a circulação de dinheiro novos vendedores, estoquistas e repositores podem ser contratados.

Conforme levantamento feito pela entidade, os efeitos positivos da medida beneficia a toda a cadeia do setor terciário, por conta da quitação de débitos dos consumidores que ainda estão com pendências, mas para os comerciantes que precisam repor estoques. 

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE