Sesau diz que repasse de recursos do Estado para UPAs de Maceió está em dia
30/06/2016 12:49 em Ciência e Saúde

Foto: Marco Antônio / Secom - Maceió

UPA do Benedito Bentes

UPA do Benedito Bentes

Na manhã desta quinta-feira (30), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) divulgou nota de esclarecimento sobre a questão dos repasses para as Unidades de Pronto Atendimento de Maceió. De acordo com a Sesau, os valores estão sendo pagos em dia. Na quarta-feira (29), o procurador-geral de Maceió, Ricardo Wanderley, falou que estariam ocorrendo atraso nos pagamentos.

Além da nota da Sesau, durante assinatura de ordem de serviço na Grota do Rafael, o governador Renan Filho também revelou que o valor está sendo pago sem atraso.

De acordo com a secretaria, além do valor para construção das unidades dos bairros do Trapiche da Barra e do Benedito Bentes, foram entregues equipamentos (parte física e outra parte no valor de R$ 750 mil).

A Sesau informa que os 25% de custeio que cabem ao governo de Alagoas estão sendo repassados regularmente e que o valor que seria de responsabilidade do governo federal, 50% do total, também está sendo feito pelo governo estadual.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

REPASSE DE RECURSOS DO ESTADO PARA AS UPAs DE MACEIÓ

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que o repasse de recursos para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Maceió estão em dia. Além da contrapartida para a construção da UPA do Trapiche, a Sesau também entregou os equipamentos – uma parte física e outra parte no valor de R$ 750 mil – e vem repassando os 25% que lhe cabe para o custeio e, inclusive, o valor de responsabilidade do Governo Federal para a manutenção da unidade, que corresponde a 50% do custeio.

Com relação a UPA do Benedito Bentes, além da contrapartida para a construção do prédio, a Sesau entregou os equipamentos – uma parte física e outra parte no valor de R$ 750 mil – e, a partir de julho, quando a unidade estiver em funcionamento, irá repassar os 25% que lhe cabe para o custeio e, inclusive, o valor de responsabilidade do Governo Federal para a manutenção da unidade, que corresponde a 50% do custeio, até que o Ministério da Saúde faça a habilitação.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE