Operação contra a exploração do trabalho infantil é deflagrada em Maceió
12/06/2019 11:07 em MACEIÓ ALAGOAS

um conjunto com vários órgãos, a Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (12), uma operação de combate a exploração do trabalho Infantil  e proteção ao adolescente trabalhador em alguns pontos de Maceió. 

Com o slogan "Criança não deve trabalhar, infância é pra sonhar", a ação envolve a OAB, MPT, Batalhão Escolar, Polícia Rodoviária Federal, Seprev, Semudh, TRT, Defensoria Pública, Semas, Conselhos Tutelares e o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador.

 

De acordo com a  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizada em 2015, cerca de  2,7 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos trabalhavam em todo o território nacional.  Vale ressaltar que duas em cada três crianças em situação de trabalho infantil são do sexo masculino, mas as meninas predominam no trabalho infantil doméstico: 94%, segundo dados do FNPETI.

Na capital, serão vistoriados durante toda essa quarta, estabelecimentos no Terminal Rodoviário do Benedito Bentes, no Posto do Makro e no cruzamento da Leste Oeste, na rodoviária de Maceió, além de pontos próximo ao Palato do bairro do Farol, na feirinha do Jacintino e no Marcado da Produção. 

Números no estado

Em Alagoas, são pelo menos 30.832 crianças que trabalham.  Entende-se por trabalho infantil toda forma de atividade realizada por crianças e adolescentes abaixo da idade mínima permitida, de acordo com a legislação de cada país. No Brasil, o trabalho é proibido para quem ainda não completou 16 anos, como regra geral, a menos que seja na forma de aprendiz, quando a idade mínima passa para 14 anos.

Para essas ações encabeçadas pela Seades, ocorrerá, também, panfletagens em 10 sinais de trânsito e locais de fluxo de crianças em situação de vulnerabilidade e uma tenda no calçadão do comércio (nas imediações do antigo Cine São Luis) para distribuição de material gráfico para a população. 

"Além do trabalho nas ruas, com a hastag #InfanciaSemTrabalhoal, esperamos movimentar as redes sociais, e junto com a campanha nacional, mostrar que a sociedade junto com o poder público, podem contribuir para que Alagoas mantenha o ritmo de redução do trabalho infantil em todo o Estado," destacou a técnica da Seades no Programa de Erradicação do trabalho Infantil (PETI) em Alagoas, Marluce Pereira.

* Com informações da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE