Câmara de Vereadores abre nova investigação contra prefeito de Rio Largo
14/06/2019 18:21 em POLÍTICA

com duas investigações em andamento na Câmara de Vereadores, o prefeito de Rio Largo, Gilberto Gonçalves (PP), pode acabar sendo cassado do cargo. Ele é acusado de improbidade administrativa e está sendo investigado por duas Comissões Processante (CPs), a última aberta na quinta-feira (13).

Na última denúncia, apresentada pelo empresário Helder Cavalcante de Moura, foi entregue à casa legislativa um dossiê com as supostas irregularidades cometidas pelo gestor. Entre eles, está a aquisição de um imóvel utilizando a filha menor de idade, que possui 14 anos, como "laranja".

 

Na compra, apesar de se declarar solteiro, ele teria anexado documentos como se fosse casado. "Observado inicialmente que ao formalizar a declaração de bens no ato da posse do cargo eletivo de prefeito, se dizia 'casado', e declarando o nome falso de Gilberto Gonçalves da Silva Cordeiro, adquiriu por compra um imóvel abaixo em nome da filha menor", diz o denunciante.

Paralelo a isso, segundo os documentos apresentados na denúncia, o gestor municipal de Rio Largo também teria mentido no dia de sua posse, afirmando não possuir bens e imóveis. A declaração teria sido feita em razão de diversos processos trabalhistas que ele enfrentaria na Justiça.

"Trata-se de uma manobra ardilosa para ocultar patrimônio e lavagem de dinheiro, a exemplo dos prédios conhecidos popularmente como: Antigo 'Baratão', hoje Shopping Rio Largo; imóvel do Posto de Combustível; empresa de alimentos "Felicidade" e grandes imóveis residenciais, todos registrados em nome de terceiros", aponta o dossiê.

Além de improbidade administrativa, também são imputados a ele os crimes de ocultação de patrimônio junto à Receita Federal, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro mediante a constituição de empresas e compra de imóveis em nome de laranjas, falsidade ideológica, fraude contra credores e uso do nome, CPF e identidade falsa. 

O processo de investigação teve 9 dos 11 votos dos parlamentares - um deles se absteve e outro estava ausente devido a questões de saúde. A Comissão Processante dessa última denúncia é formada pelos vereadores Dr. Izaque, como presidente; Jeferson do Controle, como relator; e Jeferson Alexandre, como membro.

De acordo com o presidente da Câmara de Vereadores, Thales Diniz, o grupo tem até 90 dias para concluir a CP. "A Câmara recebeu mais uma denúncia. Fizeram uma representação e entendemos que era para ser recebida. Agora foi instaurada uma comissão, que vai apurar os fatos todos, se as denúncias são verdadeiras".

Ele acrescentou que vai aguardar os resultados para discuti-lo com o pleno, mas ressaltou a possibilidade de cassação do prefeito. "Vou aguardar o final das instruções para levar para o pleno e ver o que será feito", disse. "Ele só tem duas saídas, ou é cassado ou é absolvido", afirmou.

Denúncias

A denúncia aceita pela câmara é a segunda em menos de 15 dias. Em maio, a casa abriu uma Comissão Especial Processante de Investigação (CEI) para apurar outras acusações contra Gilberto Gonçalves, que, nesse caso, é suspeito de utilizar viaturas da prefeitura para fins particulares, além de nomear filhos para cargos importantes.

Ele teria utilizado carros oficiais e funcionários do Município para transportar animais abatidos para a sua empresa. "Essa agora é a segunda denúncia que estamos aceitando, de um outro caso. A primeira já está em andamento", aponta o presidente da Câmara de Vereadores de Rio Largo.

A  site entrou em contato com a assessoria do prefeito, mas foi informada de que ele não se posicionaria sobre o caso. Gilberto Gonçalves faz parte do grupo político do governador Renan Filho.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE