Avião com 98 pessoas cai no Cazaquistão e deixa 12 mortos
27/12/2019 21:01 em Mundo

 Ao menos 12 pessoas morreram após a queda de um avião com 98 pessoas a bordo nesta sexta-feira (27), logo após decolar na cidade de Almaty, centro comercial do Cazaquistão. A aeronave, que viajava com 93 passageiros e 5 tripulantes, caiu em cima de um edifício. Dezenas de pessoas ficaram feridas.

A aeronave, um Fokker 100 operado pela companhia Bek Air, sofreu a queda às 7h22, horário local (22h22 de quinta-feira, no horário de Brasília). O voo Z92100 havia decolado do aeroporto de Almaty apenas 17 minutos antes, às 7h05, em direção à capital do país, Nur-Sultan.

 

O avião perdeu altitude durante a decolagem e atravessou um muro de concreto antes de bater no prédio de dois andares, segundo a Comissão de Aviação Civil do Cazaquistão. A causa do incidente ainda não é conhecida, mas autoridades apontam uma possível violação das regras de operação e segurança de voo  - procedimento legal comum em etapas preliminares de investigações de acidentes aéreos. Segundo testemunhas, havia neblina intensa na região na hora da queda.

 

? O avião inclinou para a esquerda, depois para a direita, e depois começou a chacoalhar enquanto tentatava ganhar altitude ? o empresário Aslan Nazaraliyev disse à Reuters. ? Nós saímos pela saída de emergência. Eu e outros homens começamos a evacuar as pessoas e levá-las para longe do avião. Algumas estavam presas por destroços do prédio.

 

Segundo o vice-primeiro-ministro Roman Skylar, a parte traseira da aeronave teria tocado a pista de decolagem em duas ocasiões. Ele disse ainda que uma comissão investigativa analisará se o acidente foi causado por erro humano ou por falhas técnicas.

 

Uma sobrevivente disse ao site de notícias local Tengrinews ter ouvido "um som horrível" antes do avião começar a perder altitude. De acordo com a mulher, enquanto a aeronave balançava, a cabine parecia uma cena de filme, com "gritos e pessoas chorando".

 

As autoridades médicas do país, de início, apontavam que 15 pessoas haviam morrido, mas revisaram o número para 12 na manhã desta sexta-feira. Entre elas, está a jornalista Dana Kruglova, de 35 anos, editora do site Informburo.kz. Segundo o veículo, ela viajava para passar o ano novo com sua família em Nur-Sultan.

 

Quarenta e nove pessoas estão internadas em hospitais da região, algumas delas em estado crítico. O aeroporto manteve-se operacional, com outros pousos e decolagens ao longo do dia.

 

"Os responsáveis serão duramente punidos, de acordo com a lei", disse o presidente Kassym-Jomart Tokayev em seu Twitter.

 

Fokker 100

A comissão de aviação do Cazaquistão disse que irá suspender todos os voos operados pela Bek Air e que forem realizados em aviões Fokker 100 até que as causas do acidente sejam apuradas.

 

A mesma companhia havia sido alvo de críticas em 2016, quando um de seus aviões do modelo Fokker, de fabricação holandesa, teve que pousar com suas rodas traseiras após seu sistema de pouso não ser ativado por completo. No mesmo ano, a companhia havia conseguido contestar os planos das autoridades da aviação do país, que queriam tornar obrigatória a auditoria de segurança operacional da Associação Internacional de Transportes Aéreos para todas as empresas locais.

 

A fabricação do Fokker 100 foi cessada em 1997, após a fabricante holandesa declarar falência um ano antes. Embora muitas companhias aéreas tenham aposentado os modelos, mais de uma centena de aeronaves do modelo ainda estão sendo usadas, em maior parte na Austrália e no Irã;uma aeronave com boa manutenção pode ficar em serviço por mais de 30 anos. O avião envolvido na queda desta sexta-feira tinha quase 24 anos.

 

Uma aeronave similar esteve envolvida em um dos acidentes aéreos mais marcantes da História do Brasil, em outubro de 1996: a queda do voo 402 da TAM, no bairro da Jabaquara, na Zona Sul de São Paulo, 24 segundos após decolar do Aeroporto de Congonhas. Morreram 96 pessoas que estavam no avião, entre passageiros e tripulantes, além de três pessoas em terra.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE