PF segue alinhada aos princípios republicanos mais nobres, diz Valeixo em carta
24/04/2020 16:50 em BRASIL

ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Leite Valeixo, divulgou uma mensagem de despedida do cargo na tarde desta sexta-feira (24). A mensagem foi enviada a superintendentes da corporação, que atuam em diversas regiões do país.

No texto, ele agradece aos colegas e diz deixar o cargo com "a certeza de que a Polícia Federal segue forte, unida e alinhada aos princípios republicanos mais nobres".

 

Valeixo foi exonerado do cargo nesta sexta, em um decreto publicado no "Diário Oficial da União" (DOU) e assinado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e pelo presidente Jair Bolsonaro.

Horas depois, ao anunciar que deixaria o cargo, Moro disse que não assinou esse documento. E que, ao contrário do que foi publicado, Valeixo não teria pedido a própria exoneração.

Na carta, o agora ex-diretor-geral da PF não deixa claro se pediu, ou não, para deixar o posto.

"Ao chegar à Direção Geral pude reafirmar minhas convicções sobre as virtudes do órgão, ao encontrar uma organização com sólidos valores éticos e institucionais, construídos por décadas de atuação dedicada e firme dos que me antecederam", diz Valeixo na mensagem.

"Deixo o cargo com a certeza de que a Polícia Federal segue forte, unida e alinhada aos princípios republicanos mais nobres".

Exoneração de Valeixo e saída de Moro

A exoneração de Valeixo do cargo vinha sendo discutida desde a manhã de quinta (23), quando Moro e Bolsonaro se reuniram no Palácio do Planalto. O ministro da Justiça afirmou ao presidente que, se isso ocorresse, pediria demissão do cargo, como informou a colunista do G1 e da GloboNews Cristiana Lôbo.

A demissão de Valeixo foi confirmada na manhã desta sexta, e o pedido de demissão de Moro, anunciado pelo próprio ministro horas depois. No discurso, ele negou que tenha assinado a exoneração e disse que "ficou sabendo pelo Diário Oficial".

No mesmo pronunciamento, Moro disse ter ouvido de Bolsonaro que o presidente "queria ter uma pessoa do contato pessoal dele [na Polícia Federal], que ele pudesse ligar, colher relatórios de inteligência. 

Até a publicação desta reportagem, o governo ainda não tinha anunciado substitutos para Moro e Valeixo.

Leia a íntegra da mensagem divulgada por Maurício Valeixo:

Prezados policiais federais, servidores administrativos, servidores contratados, colaboradores, colegas,

Na oportunidade em que deixo a função de Diretor-??Geral da nossa Polícia Federal, venho expressar minha mais profunda gratidão a todos que fizeram parte e colaboraram com a gestão que ora se encerra.

Nos meus 23 anos de atividade nesta instituição, sempre pautei minha conduta pelo trabalho e profissionalismo, e tive a felicidade de atingir o posto mais alto reservado a um policial federal.

Ao chegar à Direção Geral pude reafirmar minhas convicções sobre as virtudes do órgão, ao encontrar uma organização com sólidos valores éticos e institucionais, construídos por décadas de atuação dedicada e firme dos que me antecederam.

A nossas PF de hoje é a soma do esforço diário de cada um dos valorosos servidores que por aqui passaram nesses longos 76 anos de história, não importando seus cargos, funções ou lotações, pois o que nos faz fortes é o conjunto, é a unidade de ideais e de objetivos.

Neste momento, meus sentimentos não poderiam ser outros do que gratidão e reconhecimento.

Obrigado pelo apoio que recebi de todos no enfrentamento das mais diversas batalhas, não importando de onde viessem os desafios e os perigos inerentes a nossa árdua atividade.

Deixo o cargo com a certeza de que a Polícia Federal segue forte, unida e alinhada aos princípios republicanos mais nobres.

Recebi essa missão com grande entusiasmo e expectativa, e encerro esse ciclo com orgulho de ter feito parte dessa trajetória.

Sigamos fortes e em frente em nome da nossa Polícia Federal.

Muito obrigado.

Maurício Leite Valeixo

 

Delegado de Polícia Federal

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE