Paulo Sérgio já é o terceiro maior artilheiro do Brasil em 2020, com 17 gols
08/10/2020 22:15 em Esportes

Se Alagoas perdeu o maior artilheiro do Brasil em 2020 com a saída de Léo Gamalho do CRB, o estado pode se orgulhar de já ter o substituto. Paulo Sérgio, do CSA, chegou ao 17º gol no ano ao marcar de pênalti contra o Figueirense, pela última rodada da Série B. Foi o terceiro gol com a camisa azulina em sete jogos.

Pelo Azulão, o atacante tem 3 gols em 7 jogos, uma média de 0,42 gols por jogo. Com o gol marcado sobre o Figueirense, Paulo Sérgio é hoje o terceiro maior artilheiro do Brasil em 2020 e ultrapassou Cano, do Vasco, e Gabigol, do Flamengo, com 16 gols. O jogador só fica atrás de Nenê, do Fluminense, e Léo Gamalho, que deixou o CRB, cada um com 18 gols no ano.

 

Paulo Sérgio está em seu terceiro clube na temporada. Antes do Azulão, defendeu o ABC de Natal e o Cascavel, do Paraná. Com as três camisas, uma mesma característica: o faro de gol. Suas médias de gols são altas no ano. São 17 gols em 24 partidas, uma média de 0,71 gols por jogo.

No Cascavel, onde começou a temporada, foram quatro gols em seis partidas, com média de 0,66 gols por jogo. Já no ABC foi onde mais brilhou até aqui e teve uma projeção maior. Foram dez gols em onze jogos. Quase 1 gol por partida.

Para se ter ideia do feito de Paulo Sérgio no ano, podemos olhar para o artilheiro do Brasil em 2019. Gabriel Barbosa, o Gabigol, marcou 43 gols em 59 jogos, tendo uma média geral de 0,73 gols. Somente um pouco acima do que o jogador azulino vem apresentando neste ano.

No CSA, o atacante estreou contra o Oeste, não marcou, mas deixou uma boa imagem, se movimentando bastante fora da área e dando opções de passe e abrindo espaços para infiltrações dos companheiros de ataque e dos laterais. 

Seu primeiro gol com a camisa azulina surgiu 3 rodadas depois, na partida contra o Juventude. Após cruzamento da esquerda de Rafinha, Paulo Sérgio se movimenta do segundo pau para o meio, atacando o espaço vazio deixado pelo marcador que se atrapalhou com a presença do volante Yago na área. Mesmo não sendo um centroavante fixo e flutuando pelas laterais do campo junto com Pedro Júnior, o camisa 10 sabe se posicionar muito bem, aproveitando os espaços da defesa.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE