Briga de marqueteiro com Alfredo prejudica candidatura dos governos
27/10/2020 22:52 em POLÍTICA

O impacto da segunda pesquisa Ibope/TV Gazeta, divulgada na última sexta-feira (23), foi a gota d´água que transbordou a paciência dos que formam o núcleo da campanha do ex-procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) à Prefeitura de Maceió, que aparece empatado em 24% com o candidato João Henrique Caldas (PSB). 

A queda de dois pontos na intenção de voto do eleitorado e a aproximação com um adversário que nem sequer conta com o apoio das máquinas municipal e estadual abalaram as estruturas da coligação de Gaspar e provocaram a queda do marqueteiro Adriano Gehres, que já vinha provocando insatisfações no próprio candidato e em seus padrinhos políticos, o governador Renan Filho (MDB) e o prefeito Rui Palmeira (sem partido).

 

A mudança é considerada por observadores prejudicial à candidatura apoiada pelos governos estadual e municipal, faltando 20 dias para o primeiro turno das eleições, levando-se em conta que o trabalho de marketing terá que começar praticamente do zero e num ambiente extremamente pesado.

Conforme apurou a reportagem , a situação em torno do marqueteiro Adriano Gehres vinha se tornando insustentável. Os resultados nas pesquisas eleitorais não vinham agradando e a queda na última pesquisa do Ibope/TV Gazeta representou o ápice da rejeição ao trabalho dele.

A forma dos programas, as inserções durante a programação eleitoral e o pouco rendimento de Gaspar nas pesquisas eleitorais foram o combustível para o afastamento de Gehres, pessoa da confiança do governador Renan Filho. Em uma ocasião, durante a montagem de um programa para o Guia Eleitoral, soube-se que o candidato oficial do governo discutiu asperamente com o marqueteiro, o que causou constrangimento em quem acompanhava o trabalho dos profissionais. Há informação de que Adriano também teria se desentendido com Rui Palmeira. Sem mais clima para tocar o projeto, a opção foi afastá-lo.

Adriano Gehres foi retirado da campanha eleitoral sem mais explicações oficiais no último sábado (24). O silêncio imperou na coordenação da campanha emedebista.

Ontem, a Gazeta buscou informações com a assessoria da campanha e esta informou apenas que "não haveria explicação oficial". Entretanto, confirmou o que os sites de notícia já haviam informado: que os substitutos de Gehres são a baiana Renata Melo e o pernambucano Ricardo Mello. Renata é marqueteira de Rui Palmeira, enquanto Ricardo Mello já atuou na campanha de Cícero Almeida (DC) em 2016, quando o ex-prefeito disputou a prefeitura apoiado pelo governador Renan Filho (MDB).

A ideia é que os dois possam mudar o rumo da campanha, no guia, nas ruas e no discurso de Gaspar, que andava "pesado" e com propostas fora da realidade econômica da prefeitura. Especula-se que a estratégia muda em muitos aspectos, como, por exemplo, não apontar falhas na gestão de Rui Palmeira, como vinha acontecendo, e sim mostrar pontos fracos e "incoerências" dos adversários do prefeito.

De acordo com o que apurou a reportagem, o lado propositivo do guia não será abandonado, mas tanto nele, quanto nas inserções de rádio e TV, que ocorrem nos intervalos comerciais, ocorram "cutucadas", principalmente no candidato JHC, que está "colado" em sua campanha, e em Davi Davino Filho (Progressistas).

A repercussão da mudança nos bastidores não escapou da análise do especialista em pesquisas eleitorais, o professor e pesquisador Marcelo Bastos, do MB Pesquisas e Consultoria. Ele lembrou que, oficialmente, faltam três semanas para o pleito eleitoral e a eleição está indefinida até o momento sobre os nomes que terão presença no 2° turno.

Ele fez uma breve analogia com o que ocorre com times de futebol em crise e que trocam o técnico buscando novas estratégias para a competição. Entretanto, na reta final do campeonato, isso vira uma "missão difícil porque é como trocar o pneu do carro em movimento".

"A cada rodada de pesquisas que estamos tendo percebemos que o quadro vai mudando muito com a queda do número de indecisos. O fato do momento é a última pesquisa do Ibope, onde Davi Davino Filho cresceu de forma geométrica contra a queda de JHC e Alfredo Gaspar. JHC não mudou o seu marqueteiro. Precisamos lembrar que parte do eleitorado de Alfredo é parecido com Davi Davino Filho", analisa.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE